Esocial: liberada opção de impressão do Recibo de Férias

Com a edição da Medida Provisória nº 927/20, o eSocial teve de se adequar à nova legislação e foi ajustado para incluir as férias no recibo de salário. Nesse caso, o recibo à parte é desnecessário, já que os valores das férias saem junto do recibo de salário. Contudo, diversos empregadores que optaram pelo pagamento antecipado das férias estavam com dificuldades para gerar um recibo por conta própria. Dessa foma, o eSocial ajustou novamente a ferramenta com a possibilidade de emissão automática do recibo, conforme já antecipado em 02/06/2020.

Arrecadação de novembro soma R$ 125,1 bilhões sendo a melhor desde 2014

O resultado da arrecadação de impostos, contribuições e demais receitas federais em novembro deste ano foi o melhor para o mês desde 2014. O total arrecadado no mês passado ficou em R$ 125,161 bilhões, conforme divulgou a Receita Federal (RF), hoje (19/12). Em 2014, a arrecadação foi de R$ 136,405 bilhões.

O crescimento real da arrecadação de novembro, comparado com o mesmo mês do ano passado, foi de 1,48%, descontada a inflação. De acordo com a Receita Federal, o que interferiu no salto da arrecadação em novembro, quando comparado com o mesmo mês do ano passado, foi o comportamento das principais variáveis macroeconômicas. Como a arrecadação com imposto de renda de pessoa jurídica, que teve alta de 6,72% em novembro. O indicador foi de R$ 16,661 bilhões em 2018, para R$ 17,780 bilhões neste ano.

Em relação ao acumulado entre janeiro e novembro deste ano, a arrecadação administrada pela RF somou R$ 1,331 trilhão, que significa uma alta real de 1,87% em relação ao mesmo período do ano passado. Dentro desse ramo de arrecadações, o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros, Claudemir Malaquias, destacou que houve crescimento de 31,36% na arrecadação com o Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) em comparação a novembro de 2018. Ele explicou que o salto ocorreu devido aos ganhos com tributação majoritariamente de aplicações na bolsa de valores. 

"As operações de Bolsa, e operações que detectamos também no mês passado de renda fixa, tiveram essa variação bem positiva em relação aos demais tributos", disse. Malaquias ressaltou que o resultado não depende diretamente da atividade macroeconômica, mas sim do desempenho do mercado financeiro. 

O acumulado do ano até novembro das demais receitas, administradas por outros órgãos, cresceram 1,96% em comparação com 2018. O valor desta saltou de R$ 55,301 bilhões, para R$ 58.327 bilhões em 2019. 

Malaquias, explicou que, mesmo retirando fatores atípicos, a arrecadação das receitas administradas pela Receita Federal apresentou um aumento de 1,56%, acima do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

Um dos fatores atípicos que foram registrados nesse período é o aumento da arrecadação de imposto de renda das empresas, devido a arrecadação extra com venda de participação societária. “A arrecadação ajuda a explicar o ritmo de dinamismo da economia. As perspectivas em termos de recuperação econômica estão extremamente positivas”, ressaltou Malaquias.

*Estagiária sob a supervisão de Roberto Fonseca.

Curso Preparatório para o Exame de Suficiência CFC R$ 246,90. Ver mais informaçôes

_____________________________________

Curso de Perícia Contábil R$99,90. Ver mais informaçôes

_____________________________________

Curso Contabilidade Tributária R$99,90. Ver mais informaçôes

_____________________________________

Curso Prático de Departamento Pessoal (Reforma Trabalhista) R$ 139,90. Ver mais informaçôes

_____________________________________

Curso Contabilidade Geral R$ 99,90. Ver mais informaçôes

_____________________________________

Site desenvolvido por: Lojista Integrado: Sites | Marketing | Automação Teste Grátis