Esocial: liberada opção de impressão do Recibo de Férias

Com a edição da Medida Provisória nº 927/20, o eSocial teve de se adequar à nova legislação e foi ajustado para incluir as férias no recibo de salário. Nesse caso, o recibo à parte é desnecessário, já que os valores das férias saem junto do recibo de salário. Contudo, diversos empregadores que optaram pelo pagamento antecipado das férias estavam com dificuldades para gerar um recibo por conta própria. Dessa foma, o eSocial ajustou novamente a ferramenta com a possibilidade de emissão automática do recibo, conforme já antecipado em 02/06/2020.

Qual a importância do setor de RH dentro de uma empresa pequena?

Embora a economia brasileira esteja estagnada e as projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) não sejam muito animadoras, o Sebrae Nacional divulgou que, no primeiro semestre, as pequenas e microempresas brasileiras foram as que mais empregaram mão de obra no país.

No começo do ano, foram mais de 170 mil vagas com carteira assinada criadas por essas empresas. Entre junho e julho, o número foi mais tímido, mas ainda assim significativo: 38 mil vagas registradas em regime de CLT. 

Os especialistas indicam que as pequenas e microempresas tendem a demitir menos. Isso, porque a pessoa dispensada costuma ter alta relevância para a empresa, então a demissão deve ser muito refletida. Aí surge a importância de um bom setor de Recursos Humanos, popularmente chamado de RH.


Se nas grandes companhias o RH conta, por exemplo, com um controle automatizado de dados dos funcionários e com a Inteligência Artificial (IA) para fazer o reconhecimento facial do funcionário, substituindo o velho “ponto”, as pequenas e microempresas têm menos recursos, o que não diminui a importância do setor que, em grande medida, dimensiona o futuro da empresa.

Quando o RH passou a ser tão valorizado na empresa?

Nos anos 1960-1970, as empresas, fossem elas pequenas ou grandes, não tinham um setor específico para cuidar de seu capital humano. Nas de médio e pequeno porte, que geralmente eram comandadas por uma mesma família, esse setor demorou ainda mais para ser formalizado.


Pode-se dizer que no fim dos anos 1980 e começo dos anos 1990, as empresas começaram a investir mais especificamente na criação de um departamento de Recursos Humanos.

Mudança na administração foi crucial para a formalização do RH

Isso aconteceu principalmente porque as empresas começaram a crescer e ter abrangência transnacional, exigindo outro tipo de administração não apenas dos recursos financeiros, mas também do capital humano.

Ou seja, não era mais possível manter os parâmetros personalistas da administração, fossem eles aplicados aos recursos humanos ou aos financeiros. Dentre outras coisas, as pessoas precisavam ter critérios claros para a ascensão na carreira que não dependessem do parentesco com os donos, por exemplo.

Foi nessa época, inclusive, que os funcionários começaram a ser vistos não apenas como meros operários, mas sim como um dos recursos mais importantes das empresas.
O que faz um RH dentro de uma empresa pequena

Quando o quadro de funcionários de uma empresa passa dos milhares, a importância do setor de Recursos Humanos fica mais compreensível e palpável. Nesses casos, é necessário ter um RH bem estruturado para conseguir conduzir, de maneira adequada, o grande contingente de pessoas.

Entretanto, engana-se quem pensa que as pequenas e microempresas, aquelas cujo número de funcionários não passa de dezenas, não precisam ter um bom RH. É esse setor que estrutura, por exemplo, quais as metas dos funcionários por mês e como e quando, ao atingi-las, eles serão promovidos.

Além disso, os profissionais de RH também administram os possíveis conflitos entre os funcionários e os patrões e estruturam questões como a distribuição de dias de férias e banco de horas.

RH cria planos para o crescimento da empresa e do capital humano

Segundo os especialistas em Recursos Humanos, um dos principais motivos para que micro e pequenas empresas implementem um setor de RH é que os profissionais dessa área ajudam os CEOs e fundadores a criarem um plano de crescimento não apenas para a empresa, mas para todo o capital humano.

Ou seja, os profissionais de RH devem avaliar o desempenho dos funcionários e, com base nisso, pensar em progressões da carreira para cada colaborador. A longo prazo, portanto, esses profissionais ajudam a formalizar o futuro da empresa. É por isso que é tão importante, logo de início, ter um setor estruturado e formalizado.

Como implementar o RH em pequenas empresas

Embora seja uma excelente ideia na teoria, na prática nem sempre as empresas conseguem disponibilizar capital para a implementação de um setor de Recursos Humanos. Muitos empresários preferem empreender a verba na contratação de novos funcionários para aumentar a produtividade, por exemplo.

No entanto, na ausência de uma estrutura financeira mais robusta para implementar o RH, é essencial que os próprios donos deixem pré-estabelecidos quesitos básicos, como para progressão de carreira dos funcionários, além das questões mais burocráticas, como com o banco de horas e férias, por exemplo.

Curso Preparatório para o Exame de Suficiência CFC R$ 246,90. Ver mais informaçôes

_____________________________________

Curso de Perícia Contábil R$99,90. Ver mais informaçôes

_____________________________________

Curso Contabilidade Tributária R$99,90. Ver mais informaçôes

_____________________________________

Curso Prático de Departamento Pessoal (Reforma Trabalhista) R$ 139,90. Ver mais informaçôes

_____________________________________

Curso Contabilidade Geral R$ 99,90. Ver mais informaçôes

_____________________________________

Site desenvolvido por: Lojista Integrado: Sites | Marketing | Automação Teste Grátis